Recolha de Biorresíduos

O Município de Almada está a implementar um projeto de recolha de resíduos orgânicos ou biorresíduos em habitações domésticas e em estabelecimentos inscritos do canal HORECA, de forma a cumprir as metas de valorização de resíduos biodegradáveis, a partir de 31 de dezembro de 2023.

O projeto Rede de recolha seletiva de biorresíduos no concelho de Almada que abrange cerca de 24.000 habitantes, (14% da população do Concelho) resultou da aprovação de uma candidatura ao PO SEUR, com um investimento global de 3,1 M euros e um financiamento de 1,46 M de euros.

 

Como funciona?

Os contentores atualmente existentes para recolha de lixo comum (contentores verdes) serão gradualmente substituídos por:

Actualmente, no centro da Freguesia da Costa da Caparica, foram colocados contentores enterrados coletivos para a recolha de resíduos orgânicos e para a fração resto. Nas zonas abrangidas por esta recolha foram entregues, nas habitações, contentores individuais castanhos de 5 L para a separação dos resíduos orgânicos (restos de alimentos crus ou cozinhados) nas cozinhas.

orgânicos_cma

 

Na U.F. Charneca e Sobreda, em zonas de edifícios de média densidade, irão ser colocados contentores coletivos de 800L para a recolha de orgânicos e para a fração resto.

Nas zonas com recolha porta-a-porta da U.F. Charneca e Sobreda, U.F. Laranjeiro e Feijó e U.F. Caparica e Trafaria, a CMA irá entregar dois contentores individuais (castanho e cinzento) de 120L para recolha de orgânicos e fracção resto. Irão ainda ser entregues contentores de 5L para separação dos orgânicos no interior das habitações.

Na zona antiga de Almada, serão entregues nos edifícios, por apartamento, contentores de 40L para a recolha de biorresíduos e da fração resto.

No canal HORECA, serão entregues contentores de 120L e 240L com fechadura.

 

Porquê participar?

Ao separar os resíduos orgânicos está a reduzir a quantidade de resíduos enviados para aterro e a aumentar a quantidade de materiais que vão ser valorizados.

 

O que acontece depois aos seus resíduos orgânicos?

O destino da matéria orgânica assim recolhida será a Central de Valorização Orgânica (CVO) da Amarsul, localizada no Ecoparque do Seixal. O processo de tratamento vai gerar um composto e energia elétrica. Esta energia será exportada para a Rede Elétrica Nacional como "energia verde". O composto orgânico produzido será para aplicação na agricultura.

 

O que se pode colocar no contentor castanho?

Restos de alimentos crus e cozinhados ou fora da validade: Legumes e frutas, carne e peixe, restos de sopa, restos de pão e bolos, cascas de ovos, borras de café, saquinhos de chá e guardanapos de papel.

 

O que NÃO se pode colocar no contentor castanho?

Vidros, plásticos, metais, têxteis, lâmpadas e beatas, excrementos de animais, copos, talheres e loiças, medicamentos e pilhas, etc.

 

Mais informações:

Se vive no centro da Costa da Caparica e quer um contentor de 5L para fazer separação de resíduos orgânicos na sua casa, poderá deslocar-se à secção de limpeza urbana da CMA localizada na Praça Manuel Bernardes na Costa da Caparica.

Em caso de dúvida ou outras informações contacte-nos através do tel. 212 549 700 ou higiene.urbana@cma.m-almada.pt

Veja o vídeo do projeto