Programa Concelhio de Apoio a Cuidadores Informais

Os cuidadores podem sê-lo de forma formal e informal, correspondendo isso, no primeiro caso, a um profissional com formação académica para a prestação de cuidados, orientado e obedecendo a um “código de conduta”, remunerado pelo trabalho que desempenha a vários indivíduos e num horário específico, realizando tarefas especializadas.

O cuidador informal é a pessoa que assume preferencialmente a prestação de cuidados próximo da pessoa dependente, podendo ser um familiar, amigo ou pessoa próxima que assume a função de cuidador principal, a tempo inteiro, desempenhando tarefas de apoio a outrem sem ter, necessariamente, preparação técnica especifica para o efeito e não estando sujeito a remuneração.

O envelhecimento da população em Portugal, constitui uma realidade cada vez mais evidente, não sendo esta realidade distinta na “população cuidadora”.

Deste modo a Câmara Municipal de Almada, pretende estimular/dinamizar um programa conjunto e coordenado, suportado numa lógica alargada de parceria inter e intra-institucional, para potenciar estratégias mais consistentes e inovadoras no apoio aos cuidadores informais, materializadas no Programa Concelhio de Apoio a Cuidadores Informais (PCACI).

O PCACI pretende constituir-se com um documento estratégico, procurando contrariar as escassas respostas ao cuidador informal, assumindo-se como um instrumento vital para delinear estratégias e implementar projetos, capazes de criar as melhores condições para obtenção de ganhos formativos, de saúde e qualidade de vida dos cuidadores informais.

Projetos
Projeto Tempo para si

Tempo para SiO Projeto Tempo para Si pretende ser uma resposta, implementada através de trabalho conjunto com a parceria, que permita o descanso do cuidador, concretizando-se através de um serviço de descanso do cuidador ao domicilio, com recurso a uma bolsa de cuidadores formais que se propõem acompanhar os entes dependentes, permitindo aos cuidadores usufruírem de tempo de descanso/lazer/cumprimento de outras tarefas.

Podem candidatar-se ao Projeto Tempo para Si os cuidadores informais, que prestem cuidados a pessoa dependente, podendo ser um familiar, amigo ou pessoa próxima que assume a função de cuidador informal principal


Será atribuído a título de subsídio, uma comparticipação na utilização da bolsa de cuidadores formais, ficando estipulada uma utilização máxima de 11 horas por cuidador informal/quadrimestre, não podendo exceder as 7 horas consecutivas, e cujo limite global anual por cuidador informal, será de 44 horas para utilização de apoio de cuidador formal não especializado, e 26 horas de apoio de cuidador formal especializado.

Considerando que estes serviços específicos são escassos a nível nacional, este projeto assume uma maior relevância no desenvolvimento de medidas de apoio a cuidadores informais, destacando a Câmara Municipal de Almada como impulsionadora de respostas inovadoras e de qualidade, ao serviço dos seus munícipes.

Inscrições através do formulário online: Tempo para Si